terça-feira, 26 de junho de 2018

Com gol de Messi e de Rojo, Argentina reage e desclassifica Nigéria, apesar de Moses ter marcado

                                                                               Lídia Maria de Melo
Foto de Monica Yanakiew/Agência Brasil - 26/6/18 Buenos Aires
Copa da Rússia: torcida no jogo entre Argentina e Nigéria 
Hoje, a Seleção da Nigéria repetiu o que aconteceu em 1994 , na Copa do Mundo de Futebol nos Estados Unidos, e 2010, na Copa da África do Sul.
Já escrevi várias vezes sobre isso (clique no link no final do texto).
Em 1994, a Nigéria, cujo elenco também é chamado de Os Águias, disputava com a Itália uma vaga nas oitavas de final.
Eu estava no shopping Miramar, em Santos, e acompanhei o jogo pelo telão.
Vencendo por 1x0, a Nigéria dava ‘olé’ na Itália, que apresentava um péssimo preparo físico.
No finalzinho do jogo, o craque Roberto Baggio roubou a bola quase no meio do campo e disparou em direção ao gol. Empatou aos 43 min. Houve prorrogação e outro Baggio, o Dino, marcou para a Itália.
Resultado: por ingenuidade, a Nigéria voltou para casa. Já a Itália chegou até a final, perdendo para o Brasil, que conquistou o tetracampeonato.
Em 2010, a Nigéria ganhava por 2x1 da Coreia do Sul e poderia se classificar. O time voava em campo, mas permitiu a reação sul-coreana. Com o empate de 2x2, em função do resultado de Grécia e Argentina, Os Águias perderam a vaga.
Hoje, 26 de junho de 2018, a história se repetiu em São Petersburgo, na Rússia. Na partida em que enfrentou a Argentina, por uma vaga nas oitavas de final, Messi abriu o placar para a Argentina. Depois, após uma falta de Mascherano, Moses empata para a Nigéria, na cobrança do pênalti. No final da partida, aos 40 minutos do segundo tempo, o zagueiro Marcos Rojo colocou a Argentina na frente outra vez.
Embora tenha feito uma partida de igual para igual, a Nigéria perdeu a vaga. 
Moral da História, com campeões, é preciso malícia. 


TORCIDA
Nesse drama vivido em dois tempos, a torcida argentina teve um papel fundamental. Foi em procissão até o estádio, ocupando as ruas e cantando a todo pulmão. Dentro do estádio, entoou o hino e canções que empurraram o time desorganizado para a vitória. Foi de arrepiar.
A quilômetros da Rússia, nas ruas argentinas, o clima não era diferente.
Essa energia irmanada deu certo. Argentina segue em frente na Copa do Mundo da Fifa, na Rússia.

Clique aqui, para ler a matéria publicada neste blog em 23 de junho de 2010 e em 22 de junho de 2006, sobre a desclassificação da Nigéria em outras copas do mundo.

  

Nenhum comentário: