Direitos Autorais

Não reproduza textos, fotos e vídeos deste blog sem autorização da autora.
Mesmo com autorização, se utilizar algum conteúdo, mencione a fonte
e a autoria. Lei 9.610/98.

Translate

domingo, 19 de janeiro de 2014

Steve McQueen não é Steve McQueen.
Cada um tem seu papel na história do cinema

Steve McQuen, o diretor.
  
Esta foto é licenciada
pelo Creative Commons.
O diretor Steve McQuenn, que está em evidência neste período pré-Oscar por causa do filme Doze Anos de Escravidão (12 years a slave), indicado para diversos prêmios, não deve ser confundido com o ator norte-americano já falecido Steve McQueen.
Com inúmeros prêmios em seu currículo, o diretor nasceu em 9 de outubro de 1969, em Londres (Inglaterra), é negro e acumula as funções de roteirista, produtor, fotógrafo e escultor. Seu nome completo é Steven Rodney McQueen.

Steve Mc Queen, o ator.
Reprodução de
  Wikimedia Commons -
imagem em domínio público
Já o ator era branco, de olhos verdes, nasceu em Indianápolis (Indiana), nos Estados Unidos, em 24 de março de 1930, e morreu na Cidade Juarez, no México, em 7 de novembro de 1980, vitimado por um câncer na membrana que recobre os pulmões (a doença do amianto).
Chamava-se Terrence Steven McQueen e foi casado com a atriz Ali MacGraw (Love Story).
Foi um dos atores mais bem pagos de Hollywood e integrou o elenco de inúmeros filmes, como Sete Homens e Um Destino, Papillon e Inferno na Torre. Neste último, de 1974, interpreta o bombeiro Michael O´Hallorhan, que repreende o arquiteto Doug Roberts, protagonizado por Paul Newman, em uma das cenas finais: "Quando vocês forem construir suas torres, lembrem-se de nos consultar".
Escrevi sobre isso em 2009 e 2011, quando lembrei os ataques às torres do World Trade Center, em 11 de setembro de 2001, nos Estados Unidos (veja aqui e aqui).
Como o veterano Steve McQueen está morto há 33 anos e dois meses, poderá ter seu currículo confundido com o deste novo bem-sucedido Steve McQueen.
É importante que o sucesso atual do inglês não apague a biografia do norte-americano.
Cada um tem papel relevante na história do cinema.

2 comentários:

Marcelly Rosa disse...

Olá, Seguindo o blog, adorei.


(Comente e Siga-me)

http://marcellyrosa.blogspot.com.br/ M.R ♥

Eunice Bemfica disse...

Puxa! Eu não tinha pensado nisso! Venho acompanhando o noticiário sobre o filme, um dos favoritos ao Oscar, mas o nome do diretor não me chamara a atenção até agora. Quando o fizesse, talvez ficasse confusa. Valeu pela dica!