Direitos Autorais

Não reproduza textos, fotos e vídeos deste blog sem autorização da autora.
Mesmo com autorização, se utilizar algum conteúdo, mencione a fonte
e a autoria. Lei 9.610/98.

Translate

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

A leitura de numerais e as muitas responsabilidades dos jornalistas

Como jornalistas, temos muitas responsabilidades. Além de transmitir informação sobre fatos, ajudamos a formar opinião e passamos ensinamentos sobre outras áreas (mesmo sem querer).
Nem sempre os profissionais de imprensa se dão conta disso.
Ontem, em um jornal de televisão, a apresentadora repetiu várias vezes que, para a pesquisa eleitoral, foram ouvidas "seiscentas duas pessoas". Assim mesmo, sem a conjunção aditiva "e". 
Quando ouvi pela primeira vez, achei que fosse um erro de pronúncia. Isso acontece. Afinal, somos humanos e falíveis.
Da segunda vez, fiquei mais atenta. Da terceira, não tive dúvidas de que ela havia omitido o "e" deliberadamente.
Já que a TV inventou essa história de "risco de morte" para substituir "risco de vida", uma expressão consagrada pelo uso há mais de 500 anos, tanto em português, quanto em francês, italiano e espanhol, achei melhor fazer um alerta, na tentativa de evitar o surgimento de uma nova moda sem propósito.
Escrevi no Facebook sobre a leitura de numerais
Passadas algumas horas, resolvi registrar aqui no blog: a leitura do numeral 602 inclui a conjunção aditiva "e". Então, a forma correta é assim: "Foram realizadas seiscentas 'e' duas entrevistas" ou "Foram ouvidos seiscentos 'e' dois eleitores". Por favor, não desinformem a população!
Para saber mais sobre a leitura correta de numerais e as situações em que se emprega, ou não, a conjunção "e", clique no site Recanto das Letras. 

 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...