Direitos Autorais

Não reproduza textos, fotos e vídeos deste blog sem autorização da autora.
Mesmo com autorização, se utilizar algum conteúdo, mencione a fonte
e a autoria. Lei 9.610/98.

Translate

sábado, 7 de maio de 2011

Cheiro de gás se espalha pelos bairros de Santos

Por volta da 1h30, pouco antes de deitar, decidi acessar o Facebook. Vi a mensagem de uma amiga, postada uma hora antes, informando sobre um cheiro de gás na Cidade. Não estava sentindo nada. Minutos depois, um forte odor invadiu meu quarto. O tal cheiro de gás.
Fui até o terraço e me arrependi de ter aberto a porta de vidro. O cheiro invadiu a sala e todo o apartamento.
Antes de acordar meus familiares, com receio de que eles pudessem perder os sentidos enquanto dormiam, busquei o telefone da Cetesb. Embora seja o órgão responsável por fiscalizar situações como essa, não encontrei o número na lista telefônica impressa. As outras alternativas seriam o Corpo de Bombeiros, no 193, ou a Defesa Civil, no 199. Optei por esse último.
O funcionário que me atendeu explicou que já havia recebido inúmeros outros telefonemas de moradores de diversos bairros da Santos. Segundo ele, representantes da Cetesb e do Corpo de Bombeiros foram para o possível local do vazamento, no Bairro do Saboó. Naquele momento, ele ainda não tinha mais informações para me fornecer.
O problema então era sério, já que estou no outro lado da Cidade, muito distante do Saboó.
Pelo sim, pelo não, resolvi acordar minha família. Afinal, inalar gás pode provocar a perda súbita de consciência. Principalmente em quem está dormindo e não tem como se defender.
Estou com as narinas ardendo por causa do cheiro e enjoada. Preciso ir dar aula bem cedo, mas não pretendo pegar no sono.
Já avisei também o porteiro de meu prédio, para no caso de algum morador achar que o vazamento é na rede de gás do condomínio e acionar a portaria.
Para aliviar o cheiro dentro do apartamento, minha irmã ligou os ventiladores.
O problema é esse: não saber como proceder.
A última vez que vivenciei uma situação como esta foi em setembro de 2009.
Eu estava na Redação do jornal A Tribuna à noite, por volta das 22 horas, encerrando a edição do jornal, junto com a equipe de fechamento, quando senti cheiro semelhante ao de agora.
Ligamos para a Cetesb e os Bombeiros. Em pouco tempo, os telefones da Redação começaram a tocar sem parar. Editei a matéria reproduzida acima (clique na imagem para ampliar e ler) e no dia seguinte demos sequência ao assunto (ver imagem da direita). 
Naquela ocasião, o vazamento ocorreu na Petrobrás, em Cubatão, mas o cheiro se espalhou também pelos municípios vizinhos. Os produtos lançados no ar foram amônia, gás sulfídrico e cloreto de amônia.
Uma semana depois, a Cetesb multou a empresa em R$ 158,8 mil.

4 comentários:

Graziela disse...

Sou do Guaruja e acabei de saber dessa noticia pelo twitter por uma conhecida, ela vinha de Santos para Guaruja e disse que o cheiro já esta aqui também, a coisa eh seria então!

Diogo disse...

Boa noite...!
Realmente foi no bairro de Saboó, conforme informações do corpo de bombeiro,ja foi controlado e o gas não é explosivo.!!!

Vânia Lúcia Augusto disse...

Excelente seu relato sobre o vazamento de hoje. Parabéns!

Fabio disse...

TENSO...EU ESTAVA PASSANDO POR SANTOS...E NO CENTRO DE SANTOS,O CHEIRO ESTAVA MTO FORTE..."TENSO"