Direitos Autorais

Não reproduza textos, fotos e vídeos deste blog sem autorização da autora.
Mesmo com autorização, se utilizar algum conteúdo, mencione a fonte
e a autoria. Lei 9.610/98.

Translate

domingo, 22 de novembro de 2009

Emoções nocivas

As emoções têm poderes que ainda não conhecemos totalmente.

Em maio de 1992, Pedro Collor de Mello denunciou um esquema de corrupção envolvendo Paulo César (PC) Farias, tesoureiro de Fernando Collor de Mello, presidente do Brasil e seu irmão. Pedro chegou a lançar o livro Passando a Limpo _ A Trajetória de um Farsante, com a jornalista Dora Kramer, contando detalhes.
Em dezembro de 1994, Pedro Collor morria vitimado por um câncer no cérebro aos 42 anos de idade. Acho que ele denunciou, mas não suportou. Involuntariamente, puniu-se com a doença.


Na sexta-feira à noite, Dia da Consciência Negra, o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta morreu de câncer no intestino. Afilhado político de Paulo Maluf, Pitta foi acusado de corrupção passiva quando ainda comandava a prefeitura paulistana.
No ano passado, foi preso dentro da Operação Satiagraha, da Polícia Federal. Era investigado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e formação de quadrilha. Foi levado preso de casa, trajando pijama. Tudo diante de câmeras de televisão.
Na sua relação de problemas, estavam ainda as questões familiares, com a ex-mulher e os filhos. Independentemente de ser culpado ou não, acho que Pitta também não suportou o rol de acusações e o péssimo relacionamento com a família. Descarregou suas emoções no corpo.

EM 2006, foi o câncer que matou também, aos 42 anos, Sandra Regina Machado Arantes do Nascimento Felinto, filha primogênita de Pelé. Ela só foi reconhecida após recorrer à Justiça em 1991. Apesar de tê-la registrado, obedecendo a determinação judicial, Pelé jamais deu a Sandra o que ela buscava: amor ou, ao menos, carinho e atenção. Sandra foi eleita vereadora em Santos, escreveu um livro contando sua história, casou-se, teve dois filhos (um deles, com extremo talento com a bola), mas aparentemente não suportou o desprezo do pai. Desenvolveu também um câncer.

Esses são apenas três exemplos dos efeitos emocionais no organismo.
Minhas opiniões não se baseiam em dados científicos, mas em observações.

Nenhum comentário: